12 letras de música que contam histórias

Não são somente os
roteiristas e escritores que contam histórias, os letristas também merecem
respeito ao cargo de contadores. E nas vozes certas, meu Deus, que
coisa linda!

É claro que a voz
em si só não é suficiente, é preciso aquela dedicação de quem canta para passar
toda a emoção. Nesta lista, temos 09 músicas nacionais e 03 internacionais.
Veja o que cada uma fala e ouça a playlist enquanto isso. Lembrando sempre:
Mesmo não sendo seu gênero musical favorito, dê uma chance e leia, ao menos, a
letra.
Ah, antes que eu me
esqueça, a lista não está em ordem de “importância”, pois acredito que todas
são importantes, está em ordem de lembrança mesmo hahahaha.

O HOMEM QUE NÃO TINHA NADA – PROJOTA & NEGRA LI

Que a Negra Li faz
participações em vários trabalhos fodas incríveis, isso é fato. Mas esta
é, sem dúvida, umas das melhores músicas de suas parcerias.

Projota e Negra Li
cantam a história de um homem comum, com esposa e filhos. Ele trabalhava
limpando chão e passava algumas dificuldades para sustentar a família. Apesar
de tudo, apesar de não ter nada de valor material, ele tem fé e muito amor
pelos seus.
O título da música
se refere exatamente à situação econômica do Homem que não tinha nada, pois,
enquanto vive seu dia-a-dia sem reclamar da vida, conquistou muito mais do que
muitos por aí.
Retrata a vida de
muita gente, sendo esta uma letra atemporal e realista.


LONGE AQUI – JAY VAQUER

Li em algum lugar
que quase todas as músicas deste cantor são histórias cantadas, mas só conheço
esta.
Jay canta sobre uma
garota que viveu cinco meses de carinho e reprovação com sua namorada. Ela se
sentia solitária, sem afeto e sem liberdade de ser quem ela realmente é.
Apesar de seu
sofrimento, ainda sonhava com um futuro em que brilhasse, que viveria em paz
com todos e que sua mãe a perdoasse, talvez, por ser quem é. Mas a realidade
era bem diferente de tudo o que ela poderia suportar, até que um dia ela partiu
para distante parada no mesmo lugar, para distante o bastante para suportar.
A letra é bem
intensa e embora o ritmo da música seja contagiante, pesa ao saber o que
realmente significa.

EDUARDO E MÔNICA – LEGIÃO URBANA

É claro que Legião
Urbana não poderia ficar de fora! A banda possui várias histórias cantadas, mas
para essa lista escolhi apenas duas.
Enquanto ouvimos
quatro minutos de música, descobrimos que Eduardo tem 16 anos quando conheceu
Mônica, uma estudante de medicina bem resolvida e de bem com a vida. Com o
tempo, os dois se apaixonam e vivem uma história de amor tendo que lidar com
vários problemas, mudanças, novidades e adversidades.
É interessante ver
como, mesmo sendo tão diferentes, eles se dão tão bem e se gostam demais.

OITAVO ANDAR – CLARICE FALCÃO

Clarice é outra cantora
contemporânea que adora deixar uma história nas entrelinhas, mas em oitavo
andar nós temos a narrativa em primeira pessoa, e ter narrativa foi o requisito
dominante para escolher as músicas desta lista.

A regra é clara,
produção! Digo… a letra.
A “principal” se
pega imaginando, como seria se ela se jogasse do oitavo andar pela janela da
Dona Maria no tempo exato em que o seu ex passaria por baixo de onde ela
exatamente pretendia cair. A altura faria com que os dois ficassem estirados no
Leblon de conchinha no meio-fio.
Mas, ao invés de
decidir cometer suicídio e homicídio simultâneo, ela resolve que é melhor comer
uma torta de amora.
Nas entrelinhas,
fica claro que se trata de um fim de relacionamento em que ela não aceitou
muito bem, no começo, e que ela se jogaria somente por ele. Mas depois ela
percebe que é melhor afogar as mágoas de outra forma.
Enquanto a letra é
clara, fica aí o clipe para que você possa tirar sua própria conclusão.

CACHIMBO DA PAZ – GABRIEL, O PENSADOR

Quase todas as
músicas, senão todas, de Gabriel contam a história de algo. Mas assim como usei
uma dosagem narrativa para escolher oitavo andar, escolhi Cachimbo da paz.
Na música, o Presidente
viaja para o Pantanal, conhece o Índio e o nomeia como Ministro da Justiça. O
Índio, para desestressar o povo violento, lhes apresenta o Cachimbo da Paz,
que, em pouco tempo, começa a fazer o Congresso questionar se era mesmo uma boa
ideia deixar que o Cachimbo fosse tratado como algo legal.
Quando o Índio
volta de sua viagem, que havia feito para buscar mais fumo, ele descobre que se
tornou proibido e é preso por tráfico. Lá, ele conhece todo tipo de gente que
havia sido preso por outros tipos de drogas.
A música levanta um
questionamento claro e atual, já que fica claro que o cachimbo é abastecido com
maconha, não seria melhor legalizar? (é a música perguntando, esclarecer antes
que resolvam tretar nos comentários u.u)

FACÇÃO CENTRAL – DESCULPA, MÃE

Não é o tipo de
música que eu escuto, confesso. Também não escuto funk, por isso, não há nenhum
na lista. Mas esta música surgiu enquanto eu pesquisava pelo tema para me
lembrar de músicas que eu não lembrava. Nesse caso, foi uma descoberta. Aliás, pude notar que quase todas (talvez todas) as músicas deles são narrativas. Fica a dica!😎

O pedido de
desculpa, na verdade, é cheio de lembranças (não fictícias para alguns por aí).
A mãe morreu e ele se arrepende de tudo o que a fez passar.
Nosso “personagem”
se tornou mais uma estatística da criminalidade, não se tornou nada do que a
mãe desejou e, ao invés disso, se tornou ladrão, viciado, perseguido pela
polícia, presidiário e tudo o que vocês já conhecem.
Sua mãe passava os
dias tentando trazer o alimento para casa de diversas formas, ele nunca se
preocupou. Até que um dia, recebe uma ligação informando que ela morreu de
ataque cardíaco enquanto procurava pelo filho.
Não tenho o que
comentar sobre a letra, ela fala por si só.

FAROESTE CABOCLO – LEGIÃO URBANA

A ironia bateu na
ordem da lista!
Esta é, sem dúvida,
uma das mais longas e sem repetição da nossa lista.
Faroeste Caboclo é
cantada em terceira pessoa e conta a história de João de Santo Cristo que, desde criança, só pensa em ser bandido, pois seu pai morreu por um tiro de
soldado.
Durante sua vida,
João se torna o bandido que almejou roubando o dinheiro da caixinha do altar
da igreja; decide ser honesto quando vai para Brasília e resolve ter uma vida
nova; retoma a vida dos crimes quando percebe que mesmo trabalhando até a morte
o dinheiro não dava direito para se sustentar; é preso e abusado; se apaixona
e… vai ouvir a música para saber como termina u.u
A história se
tornou filme levando o mesmo nome da música. Há quem não goste da adaptação, há
quem goste… vai de cada um.

A HISTÓRIA DE LILI BRAUN – CHICO BUARQUE

A música é de
Chico, viu? Não da Maria Gadù, embora tenha ficado muito bom na voz dela!
Lili Braun se
apaixona e muda sua vida pelo o amor. Ela aceita se casar com o homem que lhe
levava ao cinema, lhe dava rosas, lhe levava para jantar e lhe dedicava poemas.
Mas depois do
casamento, as coisas não foram as mesmas.

LILY, ROSEMARY AND THE JACK OF HEARTS – BOB DYLAN

E já que estamos na
vibe de Lili, outra ironia da lista, vamos para as internacionais o/

Imagem retirada do site //alldylan.com/
Se você achou
Faroeste Caboclo longa, sem repeteco e “pegajosa” ao ponto de não te fazer
parar tentar de cantar, então conheça essa história também!
Lili, Rosemary e o
Valete de Copas é a tradução do título da música. Essa é uma história triste,
meio complicada de resumir. Na verdade, nem sei como resumir!
A história se passa
em um cabaré, suponho, no Velho Oeste. Começamos com a descrição dos
personagens: Valete de Copas, Lily, Bug Jim e Rosemary. E aí você se pergunta,
“porque o Bug Jim não está no título também?”, porque é ele quem liga os
personagens.
O mais interessante
da letra é a minúcia dos detalhes!, mas confesso que é a primeira vez que vejo uma música tão
detalhada e que te dá uma visão clara do cenário.
Se for ouvir a
música, coisa que espero que faça, e não souber inglês, sugiro ir lendo a
tradução enquanto Bob Dylan canta.

RIME OF THE ANCIENT
MARINER – IRON MAIDEN

Achei esta letra da mesma forma que achei a de Facção Central. E vou
avisando, se você achou Faroeste Caboclo e Lily, Rosemary and The Jack of Hearts longas, meu
amigo, te apresento uma mais longa ainda! É claro, isso se vocês forem ouvir a
versão Full.

A
tradução do título é Conto do Velho Marinheiro e é exatamente disso que se trata a letra, um marinheiro conta como foi
amaldiçoado por não respeitar as criações de Deus, já que mata um Albatroz
durante uma viagem ao mar.
Como punição ou carma (chamem como preferir), ele é
destinado a contar sua história para a onde quer que vá e que sirva de lição
para os outros, disseminando a palavra de Deus e ensinando a importância do
respeito.
Eu poderia resumir a história, mas a magia de lê-la
por você mesmo é muito melhor.

JANAÍNA – BIQUÍNI CAVADÃO

Acho que vocês já se deram conta que ouço muita música nacional, talvez isso ajude a diminuir o preconceito que se tem ao dizerem que o Brasil não possui músicas boas.
Janaína é uma mulher que vive seus dias sem nenhuma grande mudança. Acorda cedo, mas quando vai se deitar, sente que nada aconteceu. E apesar de as coisas parecerem sempre as mesmas, ela diz que ainda tem sonhos, mas fica claro que ela faz muito pouco ou quase nada para realizá-los.
Há quantas Janaínas assim pelo mundo?

GENI E O ZEPELIM – CHICO BUARQUE

Outra história cantada de Chico, mas a versão que vou mostrar para vocês é na interpretação fodástica de Letícia Sabatella.
Geni é uma prostituta julgada, humilhada e maltratada pelas pessoas da pequena cidade em que vive. Os homens que costumam se deitar com ela são sempre os que não têm nada.
Mas um belo dia chegou à cidade o Zepelim ameaçando destruir toda a cidade deixando todos os moradores apavorados pela morte, mas do Zepelim desce o comandante dizendo que mudou de ideia. Ele diz que decidiu derrubar toda a cidade, mas que evitaria o ataque se Geni se deitasse com ele por uma noite.
Geni não tinha interesse por um homem como aquele e decide não fazê-lo, mas ao ouvir os apelos dos moradores, ela resolve ceder.
O que dizer dessa música? Ai, ai. 
Bom, acabei de dar a vocês uma lista completa de músicas que narram histórias incríveis. Agora cabe a você decidir o que fazer com elas. E se quiser ouvir todas essas músicas sem precisar procurar, segue link: //www.youtube.com/playlist?list=PLbrsnIYK0jqBqoWhBD8e03owxf3AKP9Y9

2 comentários sobre “12 letras de música que contam histórias”

  1. Lucy – Skillet >> Em um concerto (2010), John Cooper, explicou que a música Lucy era sobre um jovem casal que se encontram à espera de um filho. Eles não estão prontos para serem pais, por isso, eles decidem fazer um aborto. Alguns meses mais tarde, depois de lidar com a depressão e grande tristeza, eles decidem procurar um conselheiro. Basicamente o conselheiro sugeriu para eles pensar nisso como uma morte na família, a fim de supera-lo.
    Então, o casal comprou um caixão, uma lápide, e um terreno no cemitério e realizou um funeral, e escolheram um nome para o bebê e esse nome foi – Lucy.
    A canção fala com seus sentimentos de pesar, mas a esperança de que eles vão vê-la um dia no céu.

Deixe uma resposta